Número total de visualizações de página

sexta-feira, 4 de maio de 2012

...OFERENDA...


Consuma-me...
Que seja com mordidas rasgadas ou lambidas de olhares contidos...
Venha-me como crepusculo dormente em cores e descortina a minha alvorada insone...
Escancara a boca infernal das labaredas dos mil sois, reconditos de todos os meus paraísos...
E crepitarei bem alto até que todos os meus demonios adormeçam...
Mas consuma-me...
Até a última foligem calada dos meus ais...

                     
Valéria Cruz

3 comentários:

Olhos que Sangram disse...

Sempre me agracias com tua generosidade sem fim. Mas não me surpreendes, pois já conheço um pouco a tua infinita capacidade de amar...és uma querida!
Sem palavras, só sorrisos e emoção
Bjsss
Valéria Cruz

VÓNY FERREIRA http://vonyfereeira.blogspot.com/ disse...

Fique maravilhada com este poema, (prosa poética) é dos tais que me
lê por dentro sem reticências.
Parabéns Valéria.
Beijo e carinho de uma amiga
que te admira,
Vóny Ferreira

Lápis Sem Ponta disse...

Deixo aqui um ________ e um (Abraço)
Lápis